Aumenta a distância entre PSB do RJ e o presidente nacional

O convite do governador Eduardo Campos ao médico e ex-ministro da saúde,José Gomes Temporão, para disputar o governo do Rio de Janeiro pelo PSB desagradou profundamente ao presidente do partido naquele Estado e prefeito de Duque de Caxias, Alexandre Cardoso.

Ele defende o apoio do PSB à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) e ao vice Luiz Fernando Pezão (PMDB) para suceder o governador Sérgio Cabral (PMDB).

Cardoso afirmou que jamais foi procurado por Eduardo Campos para discutir a candidatura e que Pezão é a melhor alternativa para o RJ.

O PSB designou o líder na Câmara, Beto Albuquerque (RS), para responder a Cardoso. Segundo o deputado, o prefeito de Duque de Caxias olha apenas para o seu umbigo e está completando dessintonizado com o PSB nacional.

“O presidente do PSB do Rio de Janeiro está com os olhos e ouvidos fechados para as ruas, o que é lamentável. Sua posição não combina com o PSB, um partido que sempre se pautou pelo diálogo e pela defesa dos interesses e reivindicações do nosso povo. O PSB carioca não é uma ilha para que se acredite que é possível fazer o que quer, sem sintonia com o povo”, alfinetou Beto Albuquerque.

Em resposta ao líder, Cardoso ironizou: “Então, como PSB está apoiando o Alckmin em São Paulo? A rua está com ele?”. (Inaldo Sampaio)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.