Como ser político, Maradona incomodava demais, diz estudiosa

"Admiro sua conduta por várias razões, tive o privilégio de lhe conhecer quando triunfaram as ideias mais justas de nossos povos e nenhum poder conseguiu esmagá-las", escreveu o líder cubano Fidel Castro em carta à estrela do futebol argentino Diego Maradona; ele diz ainda que não esquecerá nunca a amizade e o apoio que sempre ofereceu "ao líder bolivariano Hugo Chávez, promotor do esporte e da revolução da América Latina e dos povos subjugados do mundo"
“Admiro sua conduta por várias razões, tive o privilégio de lhe conhecer quando triunfaram as ideias mais justas de nossos povos e nenhum poder conseguiu esmagá-las”, escreveu o líder cubano Fidel Castro em carta à estrela do futebol argentino Diego Maradona; ele diz ainda que não esquecerá nunca a amizade e o apoio que sempre ofereceu “ao líder bolivariano Hugo Chávez, promotor do esporte e da revolução da América Latina e dos povos subjugados do mundo” (Foto: Roberta Namour)

“Dentro ou fora de campo, Maradona era capaz de dizer aquilo que ele pensava, defender aquilo em que ele acreditava, e isso certamente incomodou muita gente”. Assim fala a professora e escritora Katia Rubio, coordenadora do Grupo de Estudos Olímpicos da USP, ao comentar para o Tutaméia o legado de Dieguito: “Era uma pessoa situada politicamente, que usava de sua visibilidade planetária em prol de algumas ações. Ele é contra a ditadura, ele é a favor de Fidel Castro, ele abraça Evo Morales, ele prova que a assertiva de que política e esporte não se misturam não é uma afirmativa do atleta, mas sim de quem usa o esporte como meio de apagamento das questões sociais”.

Esse é o legado de Diego Armando Maradona, ídolo planetário, morto nesta quarta-feira (25),  aos 60 anos, na avaliação da professora Kátia Rubio, coordenador do grupo de Estudos Olímpicos da USP e uma das maiores estudiosas de esportes no Brasil. Em entrevista ao Tutaméia, Rubio afirma que o legado de Maradona vai muito além do espetáculo que ele fazia nos campos de futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *