SAAE/Curaçá pede à população bom uso da rede de esgoto

Jean Marcelo

Grazzielli Brito – Ação Popular

Os danos causados à população bem como ao órgão responsável pelo entupimento das redes de esgoto, são inúmeros. Mas, ações simples como não jogar lixo no vaso sanitário, evitar derramar óleo de fritura na pia e não abrir a rede de esgoto em suas residências são algumas das medidas que evitam muito constrangimento. Em razão disso o diretor do SAAE/Curaçá, Jean Marcelo, pede à população que evite obstruir as redes de esgoto, através de maus hábitos.

Esgoto entupido em casa e estourado nas vias públicas causam mau cheiro, acúmulo de insetos, e consequentemente doenças para as pessoas. Fora que, todo o dejeto acaba se espalhando pela cidade nas rodas dos carros, promovendo uma sensação de mal estar pela sujeira. Assim que assumiu a direção do SAAE, Jean Marcelo garantiu a limpeza da rede de esgoto com a contratação de um caminhão Hidrojato. “O caminhão Hidrojato é aquele que faz limpeza na rede geral. Faz lavagem tirando todos os materiais sólidos da rede, passamos precisamente 6 dias fazendo esse serviço na sede do município e distrito de Riacho Seco que são as duas áreas de atuação do SAAE, onde tem rede de esgoto”.

Esgoto estourado

O diretor do SAAE revela que essa limpeza não resolve o problema se as pessoas não forem orientadas pra utilizar corretamente a rede. “A gente pede compreensão das pessoas para que não joguem lixo na rede de esgoto. Ela foi feita, exclusivamente, para receber água e dejeto do vaso sanitário. Ás vezes, as pessoas abrem a rede de esgoto de sua casa pra jogar todo tipo de material. Vamos fazer uma campanha de conscientização e esclarecimento nos bairros e nas escolas, um trabalho educativo para a população com relação ao uso desse sistema de esgoto”.

Uma residência, em que o lixo é despejado no esgoto, prejudica toda a rede. “Existem dois tipos de rede: a espinha de peixe e a que passa paralelo à rede geral. A espinha de peixe se fosse a usada aqui em Curaçá, ela só prejudicaria o morador que jogou o dejeto na rede, ele entupiria no tubo de sua residência. Mas, como não se utiliza esse tipo aqui no município, a sujeira de uma residência vai descendo e prejudica os moradores na parte mais baixa da rede”, explica Jean.

Esgotos estourados nas ruas, era um problema quase que diário, com a lavagem do Hidrojato, houve uma melhora. Mas, os entupimentos já voltaram a acontecer. “Estamos com uma dificuldade em uma rua onde já detectamos um ‘embuchamento’ de toalha, alguma casa jogou uma toalha na rede de esgoto, que junto com outros dejetos, causou um grande entupimento”, Jean conta que objetos inesperados são encontrados durante a limpeza: celular, vasilhas plásticas, garrafas pet. “Não se deve jogar material sólido na rede de esgoto, isso ocasiona muitos prejuízos. Esse é um problema que pode ser sanado com o bom uso das redes”, finalizou.

Para evitar obstruções, também é essencial que restos de comida, bitucas de cigarro, fio dental, absorventes, preservativos e pedaços de pano não sejam descartados pelo vaso sanitário ou pelo ralo da pia. Essa prática é prejudicial à toda a população. Uma máxima que não deve nunca ser esquecida: lixo deve ser jogado no lixo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *