Sem coligações proporcionais, PSB avalia disputar Salvador em voo solo

Por Mari Leal

Sem coligações proporcionais, PSB avalia disputar Salvador em voo solo

Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias

Presidido na Bahia pela deputada federal Lídice da Mata, o PSB não descarta a possibilidade de disputar a prefeitura de Salvador com uma chapa formada exclusivamente por políticos da sigla. A ponderação foi feita pela própria deputada, que é também pré-candidata em Salvador, no contexto do que chama de “dificuldades” diante do novo cenário em que a lei eleitoral proíbe a formação de coligações proporcionais.

“A gente está discutindo. Os partidos estão cada um com muita dificuldade de construção. O PSB, se não conseguir construir com outra legenda com possibilidade de compor, irá, como todo partido faz, compor uma chapa só com o PSB”, antecipa em Lídice. Nome expressivo da base do governador Rui Costa (PT), em conversa com o Bahia Notícias, a deputada reafirmou a manutenção da candidatura na capital e evitou fazer cobranças ao gestor estadual no que tange à capacidade de articulação da base, ainda muito fragmentada.

“O governador sabe das dificuldades, agora sem coligação proporcional, para os partidos sobreviverem”, avalia. Segundo Lídice, pelo menos “ao PSB, o governador trata muito bem”.

A postura da deputada contraria a do colega de partido, deputado Marcelo Nilo, que nesta semana fez cobranças ao governador por meio da imprensa para que aja em favor de uma redução das pré-candidaturas já postas na base. Para Lídice, o elevado número de pré-candidatos na base não necessariamente enfraquece o grupo na corrida eleitoral.

“Depende de qual seja a estratégia montada. A depender de como for organizado esse cenário, pode garantir a ida para o segundo turno. Resta aos estrategistas principais do governo discutirem esse assunto. Aos partidos da base continuamos nos falando”, destaca.

Sobre a declaração de Nilo, a presidente estadual enfatiza que “se fosse consenso [no partido] seria uma nota, uma declaração do PSB”. Neste caso, como destaca, “é uma posição do deputado Marcelo Nilo, que ele tem todo direito de ter e eu respeito”.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Paraná Pesquisas em parceria com o Bahia Notícias, divulgada em dezembro de 2019, evidenciou Lídice em condições reais de disputa na capital. Em um cenário pulverizado, com 10 candidatos, o Pastor Sargento Isidório (Avante) também pré-candidato da base de Rui, e Bruno Reis (DEM), indicado pelo prefeito ACM neto (DEM), aparecem muito próximos numericamente, seguidos de perto por Lídice.

Em um segundo levantamento, divulgado em maio deste ano, Lídice aparece como uma das candidatas mais conhecidas pelos eleitores soteropolitanos, tendo, junto com Isidório, apenas 1,1% de desconhecimento cada. O mesmo levantamento, porém, aponta a deputada como postulante de maior rejeição entre os pré-candidatos, sendo 59,4%.

SEM ALIANÇA COM O PT

A direção nacional do PSB descartou a possibilidade de alianças com o PT nas eleições 2020 sob o argumento de que “entre o PT e o Brasil, o PT sempre ficou consigo mesmo”. A fala é do presidente nacional da legenda, Carlos Siquiera.

Entre o PT e o Brasil, o PT sempre ficou consigo mesmo, é o vetor da divisão na esquerda. Não estaremos com ele em lugar nenhum nestas eleições”, declarou ao jornal estado de S. Paulo.

Para a deputada baiana, a posição trata exclusivamente de “negociações nacionais” e está relacionada “muito mais a uma política eleitoral do que qualquer outra razão de rompimento ou qualquer coisa dessa natureza”.  (BN)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *