A água do “velho Chico” é importante, mas tem custo

A maior obra do governo Lula, que é a transposição do São Francisco para levar aos Estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte está praticamente concluída. Faltam apenas 3% das obras do eixo leste para que a água chegue ao Estado do Ceará, com tomada no município de Cabrobó.

Foto para Banco de Imagem: PISF / Ministério da Integração

Presume-se que o presidente Jair Bolsonaro irá concluí-la ainda este ano, não só pela importância social da obra mas sobretudo pelo seu baixo custo. Agora, porém, é hora de discutir quem vai pagar o custo da transposição, já que não existe almoço grátis. Para levar a água aos três estados da região, será preciso gastar aproximadamente R$ 600 milhões/ano com energia elétrica e a União já avisou aos governadores, através do ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, que a conta terá que ser compartilhada.

Segundo as palavras do ministro, “Pernambuco é um dos Estados receptores da transposição e essa conta é grande demais para qualquer um de nós, União e Estados. Há a necessidade da repartição dos custos da operação e.Pernambuco precisa contribuir com a parcela da cota de recebimento da água”. A princípio, o governador Paulo Câmara não se opõe a essa parceria mas quer saber antecipadamente do Ministério como ficará a “tarifa social”. É certo que o rio é de todos, mas para a água chegar à casa de cada um é necessário que todos ajudem a pagar a conta. (Inaldo Sampaio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *