Microcefalia: UPAE Petrolina e SES realizam mutirão ortopédico

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) e a Unidade Pernambucana de Atenção Especializada (UPAE) de Petrolina unem-se para ampliar a assistência às crianças com síndrome congênita do zika (SCZ/microcefalia). Nesta sexta-feira (13.07), cerca de 35 meninos e meninas, oriundos dos municípios das Gerências Regionais de Saúde (Geres) de Petrolina, Ouricuri e Salgueiro, participarão de um mutirão de atendimento ortopédico na UPAE, que já possui suporte de reabilitação para esse público.

As consultas, marcadas via Central de Regulação do Estado, serão realizadas pelo ortopedista pediátrico Epitácio Leite, dos hospitais Getúlio Vargas e Maria Lucinda, no Recife. O profissional é o responsável pelas cirurgias ortopédicas que estão sendo realizadas nesse público, além de também fazer infusão de toxina botulínica para tratar a rigidez muscular das crianças com SCZ/microcefalia.

“Após os atendimentos, caso seja necessário, faremos o encaminhamento das crianças para realizarem exames, cirurgia ortopédica ou para a infusão da toxina butolínica. Tudo será agendado para que as mães cheguem aos serviços necessários”, afirma a coordenadora do Núcleo de Apoio às Famílias com Microcefalia da SES, Laura Patriota.

Até o momento, 30 crianças já passaram por procedimentos cirúrgicos ortopédicos. Outras 63 fizeram infusão de toxina botulínica e 11 já estão agendadas para fazer a infusão no final deste mês. Todos esses atendimentos englobam meninos e meninas oriundos da Região Metropolitana do Recife (RMR), Zona da Mata, Agreste e Sertão.

 

Desde o início das notificações da SCZ/microcefalia, 2.545 casos foram notificados, com 456 confirmações. Desse total, foram notificados 58 casos entre os municípios da VIII Geres, sendo 12 confirmados, 37 descartados e 9 em investigação.

ATENDIMENTO – Em um período de pouco menos de um ano após a mudança do padrão da microcefalia no Estado, Pernambuco se destacou por conseguir estruturar e garantir a assistência a essas crianças. No final de 2015, o Estado contava com apenas duas instituições que atendiam essas crianças – o Imip e a AACD. Hoje, 32 unidades ligadas à rede estadual de saúde, espalhadas por todo o Estado, já prestam algum tipo de atendimento relacionado à microcefalia. Com isso cada uma das 12 Regionais de Saúde (Geres) do Estado contam com no mínimo, 1 serviço estadual de referência para reabilitação, totalizando mais de 1,7 mil consultas mensais ofertadas. Em Petrolina, as unidades de referência para essas crianças são o Hospital Dom Malan (neuropediatria e pediatria) e a UPAE Petrolina (suporte de reabilitação), ambos de gestão estadual.

NÚCLEO DE APOIO ÀS FAMÍLIAS – Com o intuito de coordenar e monitorar o trabalho relacionado às famílias e crianças com microcefalia, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) instituiu, em maio de 2016, o Núcleo de Apoio às Famílias com Microcefalia, que possui representação em todas as 12 Regionais da Saúde. O Núcleo é responsável por monitorar e acompanhar, de modo regionalizado, as crianças notificadas durante toda a linha do cuidado, além de prestar apoio às famílias e desenvolver estratégias para garantir seus direitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *