Receita Federal decide fazer auditória nas contas do ex-prefeito comunista de Uauá. Rombo deixado já ultrapassa R$ 40 milhões

Da Redação

Uma equipe de fiscais da Receita Federal foi criada para investigar denúncias de fraudes na folha de pagamento da Prefeitura Municipal de Uauá, durante a administração do ex-prefeito Lindomar Dantas (PCdoB). De acordo informações chegadas ao AP, os auditores farão levantamentos das execuções de pagamento do ex-gestor entre os anos 2017 e 2020.

Nos últimos dias, são inúmeras as denuncias de escândalos que abalaram a terra dos pirilampos com atrasos de salários de funcionários; desconto e não repasse ao INSS durante os quatro anos; recolhimento e não repasse aos bancos de empréstimos consignados e plano de saúde; não pagamento da conta de energia; falta de pagamento à fornecedores e prestadores de serviços, etc.

O rombo deixado pelo ex-prefeito da ‘mudança’ já ultrapassa R$ 40 milhões.  A falta de transição deixou a equipe do prefeito Marcos Lobo (PDT) de mãos atadas devido ao elevado número de irregularidades que surgiam a cada momento. Para o Secretário Municipal de Saúde, Jorge Lobo, no Posto de Saúde da Vila dos Gomes, resume o retrato encontrado. “Pegamos o município em desastre total. Neste posto de saúde tem sala sem porta, teto cheio de morcegos, tudo esculhambado com aparelhos sem funcionar, pessoas precisando de aparelhos de fisioterapia e nós encontramos jogados e amontoados”.

 

“Nem local para a direção na secretária de saúde encontramos. No hospital encontramos outro desastre. Já fizemos todo o registro, chamamos o Ministério Público, TCU e TCM para que tomem providências. Acredito que os órgão controladores farão sua parte também”, informou o secretário.

Sobre o rombo encontrado na máquina pública, Jorge Lobo afirmou que “ao todo, juntando a prefeitura com o INSS, já ultrapassa R$ 40 milhões. A dívida com INSS ultrapassa R$ 20 milhões, com a Coelba o debito deixado é de mais de R$ 8 milhões, dividas com Unimed, empréstimos consignados à bacos que foram descontados e não repassados. Até o auxílio moradia para os mais velhos, o município está correndo o risco de perder. O programa mais médicos não pagou  o mês de dezembro. Isso sem incluir o recurso do governo federal que chegou para combater o covid-19 na ordem de R$ 6.800.000,00  que sumiu”.

Em outras gestões anteriores a da ‘mudança’, a Coelba não deixava atrasar mais de dois meses de energia que a equipe de corte já estava na porta da prefeitura recolhendo o medidor. “Não entendemos o do porque a Coelba deixou chegar a esse ponto. A direção da empresa deveria ter tomado providências, porque só assim, ele deixaria de pagar altos salários aos seus aliados”.

Tempo de arrumar a casa enfrentando os problemas de frente

“Enxergo uma nova fase. Eu acho que Uauá vai passar por uma fase muito difícil    durante seis meses. Tivemos agora um sequestro de quase R$ 1 milhão, o prefeito está com dificuldade de pagar a folha – para pagar o duodécimo da câmara foi um sacrifício -, mas acredito que neste ano colocaremos a casa em ordem. Mesmo nesta dificuldade não podemos parar, vão correr atrás de recursos  em Brasília e no  governo do estado. Temos que fazer isso para dar uma vida melhor à nossa população”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *