Fenaj vai à Justiça para incluir jornalistas no plano de imunização

Levantamento mais recente da entidade mostra que, este ano, morreu em média um profissional da imprensa por dia no Brasil

Live promovida pela Fenaj discutiu a necessidade de incluir os jornalistas nos grupos prioritários de vacinação

Live promovida pela Fenaj discutiu a necessidade de incluir os jornalistas nos grupos prioritários de vacinação

REPRODUÇÃO/FACEBOOK

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) entrou nesta quarta-feira (9) com uma ação civil pública contra a União no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1). A entidade reivindica a revisão do Plano Nacional de Imunização (PNI) e a inclusão dos profissionais de imprensa nos grupos prioritários de vacinação contra a covid-19. No mês passado, a federação montou uma campanha online para pressionar o governo federal com relação à pauta.

Além disso, a Fenaj também apresentou, ao lado do Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba) e da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), um requerimento de admissão Amicus Curiae no Supremo Tribunal Federal (STF). As entidades pedem para ser ouvidas e fornecer argumentos na reclamação constitucional ingressada pelo Ministério Público da Bahia, que tenta impedir a vacinação de jornalistas no estado. Em Salvador, a imunização da categoria começou na semana passada.

O principal argumento da Fenaj são os números de mortes entre profissionais da imprensa monitorados diariamente em todo o Brasil. Em live promovida na noite desta quarta-feira (9), a entidade apresentou os dados mais recentes sobre os casos de covid na categoria: em 2021, em média um jornalista morreu vítima da doença no Brasil. Em números absolutos, 155 trabalhadores da comunicação morreram entre janeiro e o dia 3 de junho deste ano, um salto de 280% em relação aos óbitos registrados em 2020.

Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Amazonas concentram mais de um terço (37,8%) dos óbitos. A faixa etária de 50 a 70 anos responde por metade das mortes (50,4%). Em termos gerais, a idade média das vítimas é de 59,5 anos. Se forem consideradas apenas mulheres, a idade cai para 49,5 anos.

O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS), autor de um projeto de lei que prevê a inclusão dos jornalistas no Plano Nacional de Imunização, participou da live desta quarta-feira (9). O parlamentar destacou a importância do papel da imprensa na pandemia. “São os jornalistas que dão um norte e orientam a população. Para isso, se colocam em risco diariamente. É imprescindível que sejam imunizados”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *