Fenômeno eleitoral inexplicável

A literatura política do Estado ainda não imprimiu um exemplar de uma obra para explicar o fenômeno eleitoral Gleide Ângelo, arrastão de votos das eleições 2018. Uns atribuem seus mais de 400 mil votos, carimbo do passaporte de entrada na Assembleia Legislativa, à forte exposição na TV antes da campanha, como xerife das saias vítimas da violência.

Outros, à arrojada performance nas redes sociais. Seja lá o que for, o fato é que a delegada comeu o cartão de muita gente que jamais imaginava que 2018 revelasse uma alma viva da nova seara política com tamanha desenvoltura nas urnas.

O que mais impressiona é que quando seu nome é posto para uma disputa majoritária em qualquer cenário de pesquisa nos mais diversos centros urbanos da Região Metropolitana, incluindo Recife, dá de lapada em todo macho com cabelo na venta, a começar por Anderson Ferreira, em Jaboatão, município que ela será a estrela de 2020. (Magno Martins)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *