Jovem Pan foi censurada em ato bolsonarista, denuncia Carlos Andreazza

 

Jornalista diz que “milicianos bolsonaristas” cercearam a equipe da Jovem Pan durante ato que pedia o impeachment de Gilmar Mendes

Reprodução/Twitter

O jornalista Carlos Andreazza, ex-apresentador do programa 3 em 1, da rádio Jovem Pan, disse nas redes sociais este domingo (17) que a equipe de sua ex-empresa foi censurada por “milicianos bolsonaristas” durante ato que pede o impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

“Equipe da Jovem Pan cerceada – por grupo de milicianos bolsonaristas – na fracassada manifestação golpista da avenida Paulista”, relatou o jornalista.

Andreazza pediu demissão em agosto da Jovem Pan. O comentarista político era fortemente atacado por bolsonaristas por adotar posição contrária ao governo.

Apesar de terem se estendido por diversas cidades do país, as manifestações pró-impeachment de Gilmar Mendes mobilizaram um pequeno número de pessoas nas ruas. Em São Paulo, o ato ocupou apenas metade de um quarteirão na Avenida Paulista. Ainda, alguns manifestantes levaram tomates para atirar em cartazes com rostos de Gilmar Mendes e Dias Toffoli.

Carlos Andreazza

@andreazzaeditor

Equipe da Jovem Pan cerceada – por grupo de milicianos bolsonaristas – na fracassada manifestação golpista da avenida Paulista.

4.952 pessoas estão falando sobre isso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *