“Mimados que mamaram nas tetas do Estado”, diz Bebianno sobre filhos de Bolsonaro

Para o ex-ministro, Carlos Bolsonaro é “covarde, faz tudo pelas costas”, e “o sonho dourado do Eduardo é ser um grande líder mundial de direita. Coitado. Tem que comer muito feijão ainda”

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Em meio à crise sem fim que vai minando o PSL, partido de Jair Bolsonaro, o ex-ministro Gustavo Bebianno resolveu escrever mais um capítulo nessa história. Ele atacou os filhos do presidente, nesta sexta-feira (18), durante entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, de acordo com informações do UOL.

“Mimados e soberbos que mamaram nas tetas do Estado”, declarou Bebianno, que foi chefe da Secretaria-Geral da Presidência até fevereiro.

“O único (filho) que era presente, que participou de parte de tudo isso (campanha política e viagens de Jair Bolsonaro) foi o Eduardo Bolsonaro. Participou de parte disso aí, talvez 30%. O Carlos nunca se prontificou a fazer nada, colocar a mão na massa. Nunca fez nada pelo pai. As pessoas que faziam e naturalmente angariavam o carinho do Jair, que é uma pessoa afetuosa, despertavam um ciúme louco, enlouquecido no Carlos. Uma coisa patológica que ele precisa se cuidar, porque eu tenho certeza que a pessoa que mais sofre é o próprio rapaz (Carlos). E ele impõe um sofrimento terrível ao pai… Quando o Jair está sozinho ele é uma pessoa, quando o Carlos está presente ele é outra”, declarou Bebianno.

“O Carlos é covarde, faz tudo pelas costas. Esse bombardeio, ele fazia de forma camuflada, usando outras pessoas. Ele não aguenta apanhar. Bate como um leão e apanha como um gatinho. Esse é um problema que me atingiu de maneira muito covarde e está atingindo o Brasil, os rumos do Brasil… Fui leal ao Jair e fiz tudo por amor”, destacou.

Traição

“Foi uma traição covarde e pelas costas. O Carlos era considerado o puxador de votos para deputado federal no Rio de Janeiro. Mas ele amarelou e decidiu que não ia disputar. Sempre em cima do muro. Ficou com medo de ir para Brasília… Deveria estar lá no plenário defendendo o pai. Mas desistiu. Quando ele desistiu, o Flávio cometeu o erro de dar uma entrevista ao Jornal Extra e botou lá: ‘Bebianno será o novo puxador de votos no Rio de Janeiro’. Ele (Carlos) ficou enlouquecido. O Carlos não tem uma gota de valentia. O Eduardo também, viu… O Eduardo é soberbo. O sonho dourado do Eduardo é ser um grande líder mundial de direita. Coitado… Tem que comer muito feijão ainda”, ironizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *