Polícia conclui que ex-mendigo não cometeu estupro de vulnerável

Apesar disso, Givaldo será indiciado por difamação contra Sandra e o marido dela responderá por lesão corporal

Redação
Foto: Reprodução/Instagram/givaldoalves_brasil
Foto: Reprodução/Instagram/givaldoalves_brasil

 

Após finalizar inquérito, a Polícia Civil do Distrito Federal concluiu que Givaldo Alves, agora conhecido como “ex-mendigo”, não cometeu estupro de vulnerável ao manter relação sexual com Sandra Mara Fernandes.

Ocorrido em março deste ano, o caso ganhou repercussão nacional após a cena de sexo flagrada pelo marido da mulher, o personal trainer Eduardo Alves, ser filmada por câmeras de segurança. Na ocasião, o homem agrediu o então morador de rua por acreditar que a esposa estava sendo estuprada.

Segundo o R7, após investigações, a polícia decidiu pedir o indiciamento de Givaldo por difamação contra Sandra, que alegou ter sofrido um surto psicótico. Eduardo também foi responsabilizado e deverá responder por lesão corporal leve, por conta das agressões. As conclusões foram encaminhadas à Justiça do DF.

Os advogados do ex-mendigo comemoraram a conclusão do inquérito policial. “As graves e profundas feridas provocadas pela injusta acusação de estupro de vulnerável demorarão para cicatrizar, mas o sentimento é de que a justiça imperou, como deve ser”, declararam.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.