Crise reúne governadores

Eleito pelo rolo compressor do Planalto, líder do Centrão, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), agendou com os governadores videoconferência tendo como principal pauta a busca de soluções para a piora do quadro da pandemia nos Estados. A ideia é que isso possa ser feito por meio da discussão do Orçamento e de projetos emergenciais.

O encontro ocorre num momento em que pelo menos 12 Estados e o Distrito Federal decidiram adotar medidas que aumentam as restrições de circulação, na tentativa de conter a pandemia, que completou 1 ano do primeiro caso confirmado no Brasil na última sexta-feira. O país registra 10.455.630 casos e 252.835 mortes confirmadas pela doença, segundo o Ministério da Saúde.

A Fiocruz assegura que as taxas de ocupação de leitos de UTI covid-19 para adultos revelam o pior cenário já observado no País em toda a pandemia. Segundo a Fundação, 17 capitais estão com uma taxa de ocupação de UTI de ao menos 80%. A pesquisa também mostra que 12 Estados e o Distrito Federal estão na zona de alerta crítica, com ocupação igual a 80% ou mais das UTIs.

O diretor-executivo de emergências da OMS (Organização Mundial da Saúde), Mike Ryan, disse que o Brasil vive uma “tragédia” com a alta no número de casos de infecção pelo coronavírus e mortes por covid-19. “Infelizmente, é uma tragédia que o Brasil esteja enfrentando isso de novo e é difícil. Esta deve ser a quarta onda que o País volta a enfrentar”, declarou.

O Brasil, segundo ele, é muito capacitado e tem instituições científicas e de saúde pública fantásticas. “Acho que o País sabe o que fazer e muitos Estados estão tentando aplicar as melhores medidas. Não é simples. Não é fácil”, acrescentou. Antes mesmo de reunir os governadores, Lira já sai com uma linha de discurso em defesa de Bolsonaro.

Ele contesta a versão da oposição de que o presidente tenha culpa pelas mortes decorrentes da pandemia de covid-19. “Divirjo quando falam da gestão da crise. O auxílio emergencial foi muito importante, todos os setores receberam repasses. Nós não temos a receita da gestão da crise”, disse Lira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *